Você acha que para Empreender é só abrir uma empresa?

Publicado por

Roseana é uma grande amiga e escreveu este artigo maravilhoso, e vou compartilhar com vocês agora.

Quem me conhece sabe como sou envolvida com as questões empreendedoras e educacionais, então lá vai…

Segue trecho do artigo e link para você ler na íntegra.

Roseana Faneco Amorim, conselheira do Porto Social, Responsável pela Rede de Empreendedorismo em Recife e Diretora Nordeste da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, é a convidada desta quarta-feira (20) da coluna Sucesso, uma parceria do Portal FolhaPE com o Sucesso.site, de Felipe, Eduarda e Camila Haeckel.

Ao longo de minha carreira profissional fui descobrindo que havia algumas pessoas com comportamentos que irradiavam uma energia vibrante, um comprometimento que fazia grande diferença e uma permanente sensação de satisfação e prazer com as tarefas que desenvolviam e, literalmente, assumiam e garantiam o sucesso das missões que lhes fossem confiadas… Sempre demonstravam uma visão mais abrangente e uma motivação ampliada, uma inquietude para fazer sempre mais do que lhes era solicitado… Algo que os fazia diferentes!

Ainda como estudante costumava ler Bert Hoselitz, o qual apresentava o empreendedor como possuidor de personalidade focada na produtividade e na execução do trabalho, da tarefa, do operacional. Leibenstein o definia como aquele que cria empresas para atender demanda do mercado. Ambas as colocações não atendiam o meu anseio e nem ajudavam o meu entendimento daquilo que eu sentia no dia a dia. Com certeza havia algo diferente… E assim fui buscando algumas razões que me fizessem entender como poderia ajudar aos demais que não atuavam no formato mais dinâmico, até que descobri o belo trabalho de David McClean, que fez todo sentido para a minha compreensão. Através dele descobri o segredo!

Há em cada um de nós características que nos levam a agir de maneira empreendedora, como forma de atender uma necessidade de realização pessoal, ser influente, causar impacto e manter relações emocionais positivas. São elas:

Busca de Oportunidades e Iniciativa

Persistência

Correr Riscos Calculados

Comprometimento

Busca de Informações

Estabelecimento de Metas

Planejamento e Monitoramento Sistemáticos

Persuasão e Rede de Contatos

Independência e Autoconfiança

Ficou curioso, então clica no link e leia o artigo completo e depois me diga se você gostou…

LEIA O ARTIGO COMPLETO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s