MAIS CONEXÕES E MENOS NETWORKING… COMO ASSIM?

Publicado por

Esta semana finalizei mais uma temporada de sucesso de Acampamentos de Férias. Na mesma semana o meu amigo Alfredo Júnior, publicou um artigo na CBN sobre CONEXÕES e menos NETWORKING.

Talvez seja por isto que os nossos acampamentos de férias são tão intensos e provocam tanta sinergia, harmonia e empatia nos que participam. Por aqui falamos e vivemos a empatia e fazemos o que amamos o tempo todo e compartilhamos isto com os nossos pares, amigos e crianças e acreditem tudo isto sem um único clique nem uma única curtida, pois por aqui as conexões são feitas de verdade, ao vivo e a cores.

Segue o artico do meu querido ALFREDO JÚNIOR.

” E é assim também, mudando de abordagem, que o Hub Plural cria uma cultura de mais conexões e menos networking.

“E aí, o que você faz?”

Esta é, quase sempre, a primeira pergunta que fazemos a alguém que ainda não conhecemos, principalmente nos eventos de networking. À primeira vista, parece uma pergunta besta, inocente. Daquelas que fazemos uns aos outros todos os dias, e a qual sempre recorremos para ter alguma coisa sobre o que falar.

Da próxima vez que alguém te perguntar o que você faz, tente isso: não responda com o “título” ou “cargo” do seu trabalho (diretor disso, gerente daquilo outro…). Em vez disso, fale sobre algo que você é apaixonado. Aquilo que te brilha o olho só de pensar sobre. E então, mude o rumo da conversa devolvendo a pergunta sobre o que essa pessoa é apaixonada por. Tipo assim:

— Estranho: “E aí, o que você faz?”

— Você: “Cara, eu curto muito… (mergulhar, andar de skate, fazer churrasco, saltar de paraquedas, jogar dominó…). E tu, curte muito fazer o que?!”

Neste momento, você provavelmente receberá uma dessas três respostas:

1) um olhar de quem não entendeu nada;

2) a pessoa vai te responder que curte X, Y ou Z e a conversa seguirá um rumo de uma conexão real, mais do que apenas um “networking”;

3) a pessoa vai dizer o “cargo” ou o “título” do trabalho como resposta. Neste caso, você devolve com um “Que legal, então o que tu curtes muito é o teu cargo?!”

Eventualmente, a conversa vai seguir um caminho na qual a discussão será sobre as coisas que de fato gostamos de fazer em vez daquelas coisas que, teoricamente, precisamos fazer.

Desde que fundei o Hub Plural, eu tenho praticado esta abordagem com a grande maioria das pessoas com quem tenho contato diariamente e percebi como esta é uma forma poderosa de criar uma conexão com o outro, mesmo que seja uma pessoa que eu ainda não conheça.

É muito mais interessante conversar sobre aquilo que verdadeiramente gostamos de fazer, aquilo que nos dá tesão e brilho nos olhos. E mais legal ainda é escutar as coisas incríveis que a pessoa com quem estamos conversando gosta de fazer! Foi assim que descobri o universo infinito de coisas incríveis que estava perdendo de fazer, sentir, experimentar…

E é assim também, mudando de abordagem, que o Hub Plural cria uma cultura de mais conexões e menos networking.

E você, o que mais curte fazer nesta vida?! Compartilha aí com a gente nos comentários, vai ser massa te conhecer um pouco melhor =)

*Alfredo Júnior é direor de Qualquer Coisa do Hub Plural “

 

QUE TAL PROPORCIONAR PARA O SEU FILHO  UMA CONEXÃO DE VERDADE

ROSE JAROCKI, MSC

Deixe uma resposta